Ator William Hurt, vencedor do Oscar pelo “O Beijo da Mulher-Aranha”, morre aos 71 anos

Quatro vezes indicado ao Oscar, ele estrelou filmes como “Body Heat”, “The Big Chill”, “Kiss of the Spider Woman” e “Broadcast News”.

O ator americano William Hurt, que ganhou o Oscar pelo filme “O Beijo da Mulher-Aranha”, de 1985, morreu no domingo (13.mar.22), aos 71 anos, em sua casa em Portland, Oregon (EUA).

Um filho, Alexander Hurt, disse que a causa foi complicações do câncer de próstata.

“É com muita tristeza que a família Hurt lamenta a morte de William Hurt, amado pai e ator vencedor Oscar, no dia 13 de março de 2022, uma semana antes de seu 72º aniversário. Ele morreu pacificamente, entre a família, de causas naturais. A família pede privacidade neste momento.”

William McChorad Hurt, conhecido apenas por William Hurt, nasceu em 20 de março de 1950, em Washington. Ele foi filho de Alfred Hurt, diplomata de carreira, e Claire Isabel (McGill) Hurt, que trabalhava na Time Inc. Quando Bill tinha 6 anos, seus pais se separaram e sua mãe casou -se com Henry Luce III , filho do fundador da revista Time.

Hurt frequentou a Tufts University e se especializou em atuação na Juilliard. Na segunda metade da década de 1970, ele começou a chamar a atenção nos palcos de Nova York, aparecendo na peça de Lanford Wilson “Fifth of July” no Circle Rep em 1978.

Além de seu filho Alexander, que é de seu relacionamento com a Sra. Jennings, Hurt deixa dois filhos de seu casamento com Henderson. Os meninos Samuel e William Jr e uma filha de seu relacionamento com Sandrine Bonnaire, Jeanne Bonnaire-Hurt. Ele também deixa dois irmãos, James Hurt e Ken O’Sullivan; e dois netos.

BEIJO DA MULHER ARANHA E CARREIRA

Hurt ganhou um Oscar de melhor ator em 1986 por seu papel no filme de 1985 “O Beijo da Mulher Aranha”. Crédito…Liberação de fios

Dirigido pelo argentino Héctor Babenco, “O Beijo da Mulher-Aranha” foi uma coprodução entre Brasil e Estados Unidos, com Sônia Braga no elenco. O filme concorreu a diversas categorias no Oscar, incluindo a de melhor filme, e Hurt foi eleito o melhor ator daquele ano pela Academia.

Além do filme de Babenco, o currículo dele inclui “Viagens Alucinantes”, de 1980, “Nos Bastidores da Notícia”, de 1987, “Perdidos no Espaço: O Filme”, de 1998, “Marcas da Violência”, de 2005, entre outros.

Mais recentemente, ele participou de uma série de blockbusters, dando vida ao General Thaddeus Ross em “O Incrível Hulk”, de 2008, e voltando ao papel em diversos filmes do chamado Universo Cinematográfico da Marvel, incluindo “Vingadores: Ultimato”, “Vingadores: Guerra Infinita” e “Capitão América: Guerra Civil”, e “Viúva Negra”.

Antes do cinema, Hurt fez teatro. Trabalhou no Circle Repertory em Nova York, entre outros teatros. Em 1985, ele foi indicado ao Tony Award de melhor ator em uma peça por seu trabalho em “Hurlyburly”, uma peça de David Rabe dirigida por Mike Nichols com um elenco de peso que incluía Cynthia Nixon, Sigourney Weaver, Harvey Keitel e Jerry Stiller.

Apesar dos sucessos de Hurt como protagonista em Hollywood, ele disse ao The Times em 1990 que “o teatro é uma língua que eu falo melhor ou estou mais sintonizado do que o inglês”.

No cinema o primeiro grande papel de Hurt foi no thriller de ficção científica de Ken Russell, Altered States, em 1980; então, no início de 1981, veio o drama policial “Eyewitness”, no qual ele novamente contracenou com a Sra. Weaver. Mais tarde naquele ano, ele estrelou o fumegante “Body Heat” com Kathleen Turner.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s