Grupo de Dança Livre, de MG, ocupa prédios históricos em MS

Inspirados em escritoras indígenas, artistas de cinco países latino-americanos se apresentam

O Grupo Contemporâneo de Dança Livre, de Minas Gerais, ocupará prédios históricos com seu espetáculo ‘Cartografias’ às 19h do sábado (26.mar.22), no Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul (MARCO) e no domingo (27.mar.) na Morada dos Baís em Campo Grande (MS).

O grupo trabalha com processos colaborativos, pesquisa e criação em dança contemporânea para palco e rua desde 2010 e já participou de diversos festivais e projetos no Brasil e em países como Inglaterra, Escócia, Argentina, Portugal, França, Bélgica, México, Panamá, Colômbia, Costa Rica, Guatemala e Peru. 

O grupo é composto pelos artistas Duna Dias, Heloisa Rodrigues, Leonardo Augusto e Socorro Dias. As apresentações são patrocinadas pelo Edital Funarte Circulação Centro Oeste. 

O espetáculo ‘Cartografias’ é uma obra de improvisação em dança construída a partir do seguinte tripé: investigação de novas formas de territorialidade, intercâmbios à distância entre os artistas convidados e o trabalho com poemas escritos por mulheres indígenas latino-americanas: Graça Graúna (Brasil), Graciela Huinao (Chile), Irma Pineda (México) e Yenny Muruy Andoque (Colômbia). 

As apresentações em Goiânia e Campo Grande acontecem de forma híbrida: enquanto os bailarinos Duna Dias e Leonardo Augusto realizam sua performance presencialmente, serão projetadas imagens de 15 artistas convidados de cinco países da América Latina – Brasil, Costa Rica, Colômbia, México e Peru – dançando e se apresentando simultaneamente. A ideia é promover um diálogo entre o corpo, a cidade, seus cruzamentos e ressignificações através da dança. A trilha sonora original é da artista argentina Sofi Álvarez.

Integrante do Grupo Contemporâneo de Dança Livre, Duna Dias explica que o projeto nasceu da possibilidade de investigar a dança a partir de relações, discussões, compartilhamentos e observações coletivas, descentralizando suas ideias e promovendo o intercâmbio de experiências entre diferentes vias para ampliar o ângulo de perspectiva do que é criado em dança hoje. Além disso, ele é derivado de uma experiência que o grupo viveu durante dois anos da pandemia, quando isolados em suas casas, dançarinos e outros artistas se reuniam de forma online para dançar e se apresentar em lives.

APRESENTAÇÕES

O espetáculo ‘Cartografias’ acontece em Goiânia no dia 24 de março no Museu de Arte de Goiânia (MAG) e no Grande Hotel Goiânia, no dia 25. Ambos às 20 horas.  Já em Campo Grande, as apresentações serão no dia 26 de março, no Museu de Arte Contemporânea (MARCO) e, no dia 27, na Morada dos Baís. Ambos às 19 horas.

As apresentações terão duração de 30 minutos cada e serão gratuitas. Não haverá limite máximo de público por sessão – sendo respeitados os protocolos sanitários vigentes em cada cidade no momento de realização do projeto. A classificação do espetáculo é livre.

TAMBÉM EM GOIÂNIA

O Cartografias também será apresentado no dia 24 de março às 20h, no Museu de Arte de Goiânia (MAG), em Goiânia (GO). No dia 25 de março, também às 20h, no Grande Hotel Goiânia.

As apresentações gratuitas e classificação livre.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s