Em tela: alguns representantes das dez redações selecionadas para a 2ª edição do programa Diversidade nas Redações, desenvolvido pela Énois em 2022. Foto: Prin-tela.arquivo

TeatrineTV é selecionado entre dez sites independentes do Centro-oeste e Norte

Os sites independentes de Mato Grosso do Sul, TeatrineTV e Gazeta do Pantanal estão entre as dez redações do Brasil selecionadas pela Énois Laboratório de Jornalismo, para cobrir as eleições de 2022 e desenvolver a diversidade nas redações de julho a novembro.  

O TeatrineTV é um site fundado em 2020, dedicado à produção exclusiva de conteúdos culturais e artísticos a partir de MS.

O CEO do TeatrineTV, Tero Queiroz, disse que decidiu abrir o espaço em meio às desinformações acerca da Lei Aldir Blanc 1, executada no auge do período pandêmico no estado em 2020. “Eu já mantinha um blog para fazer críticas a filmes, peças e conteúdo das TVs desde 2017, o blog chamava-se: ‘TeatrineTV’. E no auge da pandemia, eu notei que para além de críticas, com a quantidade de informação que eu detinha sobre as ações culturais, eu deveria contribuir mais e abrir, então, o veículo. Na época, mantinha dedicação incisiva em cada passo para cada agente cultural acessar as leis emergenciais, principalmente a Lei Aldir Blanc 1, que teve uma certa resistência para ser implementada no estado e até uma morosidade”, explicou.

Desde então, o TeatrineTV recebeu um tráfego mensal de interessados no conteúdo, de acordo com Tero, principalmente os conteúdos investigativos culturais. “Não são milhões de acessos ainda, mas é um público cativo que retorna, que interage por até 4, 5 minutos com uma mesma reportagem, passando até 20 minutos dentro do site. Isso mostra que o conteúdo tem grande valor e se interessa devo continuar”, contou.  

Sobre o apoio financeiro que receberá da Énois, Tero comentou que será de grande importância para melhorar a performance do site. “Esse recurso será aplicado para melhorar o alcance e também para que possamos produzir mais conteúdos investigativos culturais que é algo que me envolvo emocionalmente e que ajuda a classe artística a ter voz, pois não há muitos veículos com esse interesse investigativo no uso da verba e assuntos culturais em MS. Essa classe não somente tem ‘agendas de shows e apresentações’. Existem demandas práticas acerca do uso da verba pública e no TeatrineTV, trataremos isso com a devida atenção”, disse.  

A Gazeta do Pantana​l​, foi fundada em fevereiro de 1993, à época, ainda na versão impressa. “16 páginas, formato tabloide, com distribuição gratuita nos principais municípios da região sudoeste do Estado. Na Capital, a distribuição abrangia órgãos públicos Municipal, estadual e federal. Há seis anos, a direção do jornal entendeu a necessidade de migrar para a internet, com o endereço gazetadopantanal.com​”, contou a jornalista Marta Freire Audi, uma das colaboradoras do site e que o representa no programa ‘Énois’.

Audi explicou que o investimento recebido pela Énois será específico para o site. “Novos equipamentos e, provavelmente um designer novo”, adiantou.  

AS OUTRAS REDAÇÕES ​

​Além das duas do Centro-Oeste, a Énois selecionou ainda, ​oito redações​ no Norte brasileiro. São elas:

A Énois dará apoio financeiro e já está em processo de formação dessas redações desenvolvendo um projeto voltado à sustentabilidade das organizações, com base nos valores da diversidade, representatividade e inclusão, integrando a 2ª edição do Diversidade nas Redações.

Juntas, as redações, em sua maioria digitais, têm uma audiência de mais de 300 mil pessoas. “São pessoas que realmente acreditam no jornalismo e que estão ali, que investem tempo para produzir, investem dinheiro do seu bolso para manter um site…Estão todos muito empolgados, muito animados e abertos para aprendermos juntos”, comentou a coordenadora do Diversidade nas Redações, Angela Werdemberg, em publicação ao site oficial da Énois.  ​ 

PROGRAMA DIVERSIDADE NAS REDAÇÕES

Em sua 2ª edição, o programa Diversidade nas Redaçõesrecebeu 39 inscrições de iniciativas de jornalismo local nas regiões Norte e Centro Oeste. Destas, 53,8% são lideradas por homens cisgêneros e 41% por mulheres cis. Em sua maioria (56,4%), as inscrições foram feitas por pessoas negras, seguidas por pessoas brancas (28,2%) e indígenas (12%), das etnias Manchineri, Guarani Kaiowá, Povo Nawa e Karipuna. A maior parte dos inscritos veio da região Norte (54%), do Pará e de Rondônia, perfazendo assim a região com maior número de selecionados.   

O Diversidade nas Redações é um programa que apoia veículos de comunicação locais com viés de diversidade e representatividade e tem como foco a produção, gestão e captação de recursos.

As dez redações selecionadas vão passar, ao longo dos quatro próximos meses, por um processo formativo que conta com encontros virtuais, mentoria e a criação de um projeto de sustentabilidade financeira para as redações. Para colocar em prática o plano, as empresas jornalísticas receberão apoio financeiro de 6 mil reais. O programa também tem como foco o desenvolvimento da equipe e um olhar para a cobertura das eleições de 2022, considerando a realidade e necessidade dos territórios. Para esse propósito, o programa disponibilizará uma bolsa para a contratação de um/uma repórter por redação para realizar a cobertura das eleições, com bolsa no valor de 2 mil reais por mês.

Nos encontros serão elaboradas pautas relacionadas ao processo eleitoral e produção de três grandes reportagens em consórcio. “Nossa intenção também é fortalecer a produção de conteúdo dessas iniciativas, e possibilitar que, por meio dessa produção, eles consigam outros tipos de financiamento”, declarou Angela.

A região Norte e Centro-Oeste tem 3.047 empresas jornalísticas, segundo dados de janeiro de 2022 do Atlas da Notícia – o que representa 22% do total de instituições jornalísticas no Brasil. “O Diversidade nas Redações colabora no fortalecimento dessas organizações, principalmente numa região que tem desertos de notícia em 70% do seu território”  , afirmou Angela.  

Os desertos de notícias são municípios que não dispõem de informação jornalística local. A coordenadora do Diversidade nas Redações apontou a dificuldade de financiamento como um dos grandes obstáculos para se fazer jornalismo local. “O Diversidade nas Redações é uma excelente oportunidade para as redações que estão em busca de novos modelos de negócios e dispostas a inovar”, completou.

A 2ª edição do programa tem o patrocínio da Embaixada e Consulado dos Estados Unidos no Brasil, do Google News Initiative e do Instituto Clima e Sociedade.

A ÉNOIS 

A Énois foi fundada em 2009 com a Escola de Jornalismo (EJ), voltada ao público jovem e se tornou a primeira escola online de jornalismo no Brasil, mais de 4 mil estudantes passaram pela Escola de Jornalismo online e em cursos presenciais, mais de 500 jovens da periferia se formaram em jornalismo. O grupo de repórteres participa de um percurso formativo para qualificar a cobertura eleitoral durante o período do programa.

Fonte: *Com site oicial da Énois.  

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s